Entrevista com Joice Reche - Le Petit Photographie

Conheci a Joice no fim de 2014. Simpática, educada e super atenciosa, me procurou depois de se identificar com meu cartão disposto em uma loja qualquer. Achei aquela história engraçada... mas me fez pensar em como um simples cartão de visita pode atrair o seu cliente certo. Aquele que dá valor e se identifica com o que a gente faz.

A Joice veio para me mostrar isso... Depois daquele cartão, um curso de fotografia. Alguns meses depois, uma assessoria que durou mais de um ano. Fotografei seu pré-wedding em Ubatuba. Essa confiança que uma pessoa dá a um profissional não é só pelo produto final. É porque ela se identifica com um todo. Não é qualquer pessoa que realmente se identifica com seu trabalho, com seu jeito de atender, de responder um email, que seja. Tudo é comunicação, tudo é visto, tudo é notado. Tudo deve ser pensado a partir do ponto de vista do seu cliente ideal.

Joice Reche, do Le Petit Photographie, no seu novo escritório. Uma fofura!

Joice Reche, do Le Petit Photographie, no seu novo escritório. Uma fofura!

Pra discorrer mais sobre esse tema, entrevistei a própria Joice, que acreditou em cada palavra dita durante nossos encontros e que muito se esforçou para desenvolver a Le Petit Photographie, estúdio especializado em newborn.

Tirei uma manhã para conhecer seu novo escritório e não pude perder a oportunidade de entrevista-la aqui para o projeto Open Mind. Dêem uma olhada que lindo está ficando tudo!

 

Como foi esse ultimo ano em relação ao planejamento do seu trabalho? Você acredita que essa etapa foi importante?

Eu acredito que todo negócio é um investimento. Quando você começa de maneira informal e amadora você acaba perdendo mercado. Antes mesmo de começar a assessoria, as pessoas começaram a pedir orçamento, site com portfólio... e foi aí que percebi que não tinha a estrutura necessária. Passei um ano me planejando, organizando tudo que esse negócio demanda. Não sabia ao certo nem em qual segmento atuar. Foi aí que, durante os nossos encontros, fui descobrindo o que mais me atraia, qual era a área que eu queria trabalhar.

Sim… comecei a perceber que você naturalmente se envolvia com esse tema.

A decisão veio em conjunto, de focar em newborn. Claro que a questão financeira pesa um pouco porque você se priva de outros trabalhos - aniversário, por exemplo, não fotografo - pra investir seu tempo e dinheiro em outras coisas. Você perde financeiramente por um lado, mas por outro você ganha mais experiência em um segmento só.

E como é dizer não?

Eu não me apego muito nisso… Não tenho muito problema em falar que não faço alguns tipos de fotografia. Quando a gente é autônomo, não somos só fotógrafos. Fazemos tudo: marketing, financeiro, comunicação visual, redes sociais. E isso também toma tempo.

Investimento é uma palavra que dá arrepio em alguns. Como foi pra você?

Todo negócio demanda investimento. As empresas de retorno rápido são no mínimo seis meses de trabalho para começar a fazer retirada. Não tem negócio que não demande investimento, estudo e planejamento.

E você tem uma ideia de quanto já gastou?

Gastei em média 20 mil só na estrutura, fora acessórios, cursos, livros, sala. É um investimento que pesa para a gente, mas quando decidi atuar na área, queria fazer algo bem profissional, fora de casa.

Sutilezas que representam...
Sutilezas que representam...

Acompanhei o processo de criação da sua identidade e achei muito interessante a atenção que você deu nisso. Qual a importância que você dá para a comunicação visual?

Para mim, identidade é tudo. Tanto é que foi a primeira coisa que eu fiz. Foi a partir dela que visualizei um estilo, um perfil de trabalho. Pensei: "se minha identidade vai ser assim, meu álbum, decoração do escritório, cartão de visita devem acompanhar...". Acho que a identidade atinge um publico específico. Foi por isso que escolhi uma identidade mais clean, mais delicada, mais leve. Acho que estou conseguindo atingir esse publico, que é aquele com o qual me identifico.

Não só a identidade, mas o portfólio, acaba atraindo o cliente certo. O problema é quando você não se comunica com o seu cliente.

Detalhe do cartão de visita.
Detalhe do cartão de visita.

Falando ainda em comunicação com o cliente, o que você tem pensado de recurso visual para o seu trabalho?

Estou fazendo um guia de boas vindas para enviar ao cliente assim que ele fecha o ensaio newborn. É um ensaio complexo, você precisa orientar sobre como será a sessão e como é o ambiente do ensaio. É muito importante garantir o bem estar do bebê, por isso trabalhamos com o ambiente aquecido - o que acaba trazendo um desconforto para os pais, quando não estão avisados. Você não pode frustar a pessoa. Ela não pode achar que vai ser uma coisa rápida e, ao chegar aqui, passar cinco horas esperando no calor. Tem que ser um dia agradável, ela deve sair daqui com uma lembrança boa.

Você se especializou em comportamento animal, quando estudou em biologia. Como isso te ajuda hoje?

Sou bióloga, me formei em 2009. Depois, fiz mestrado em Florianópolis na área comportamental. Trabalhar com pessoas é muito complexo, as pessoas acabam se envolvendo emocionalmente. Imagina uma mãe que acabou de ter um bebê! A vida da mulher muda bastante, e nem sempre é tao bom quanto todo mundo fala. É uma mistura tão grande de sentimentos... E o profissional deve estar atento à isso.

Isso é muito legal... você presta um serviço mas não deixa de enxergar a pessoa como individuo. Com demandas únicas.

Hoje em dias as coisas estão tão automatizadas que é difícil isso, você sentar e conversar com a pessoa, trazer uma coisa além daquilo que se propõe. Como aqui passamos muitas horas com a pessoa você precisa saber o que conversar com a mãe. É fundamental!

Quais equipamentos está usando?

Uso uma 6D da Canon com uma 50mm 1.4. Quero comprar uma macro 100mm. Quem fotografa newborn não precisa de muito equipamento. Além disso também tenho flash de estúdio.

Onde você busca conhecimento?

Acho q hoje a forma mais rápida de obter conteúdo é na internet, Muitas das referências que busco estão no facebook e no instagram. Estou sempre em procura de cursos, workshops, congressos... Apesar de ser alto o investimento, vale muito a pena.